Assim como em suas aulas, palestras e suas outras formas de comunicação, neste livro Marisa Caiado procura transmitir conhecimentos que cientistas e pesquisadores têm  divulgado,    aliados às conclusões chegadas através de sua vida pessoal e profissional. Além disso, Marisa valoriza muito a sabedoria que as pessoas alcançam, especialmente as que viveram ou vivem mais tempo.

Num de seus cursos na Stanford University, na California, para aprofundar seus estudos sobre o processo de envelhecimento, ou o declínio cognitivo humano, Marisa entendeu que isso pode começar muito antes do que se pensa,  o que a motivou a escrever este livro.

 “Deve-se cuidar do próprio  cérebro, muito antes do que se imagina, ou seja, logo após os 20 e tantos anos, que significam o fim da adolescência”.

É dito que começamos a envelhecer quando nascemos.

A dúvida é se muita gente sabe como e quando o declínio das funções cognitivas pode ter início. Até porque esse declínio é lento e silencioso.

Pensar na velhice começando aos 60 ou mais, é errado…

Concluir que trabalhadores “velhos de casa”, embora sendo de “confiança, ficam desmotivados, acomodados, lentos e por isso pioram o desempenho, é concluir  errado também.

 Há grandes e recentes descobertas a respeito do funcionamento do cérebro, que ainda não estão amplamente conhecidas.

Do CEREBRO provém todos os comandos para o corpo, a mente, o comportamento, a vida.
Muito se fala sobre cuidados com o corpo, a mente, o espírito, os pensamentos, a filosofia de vida.
Pouco se ensina sobre o que fazer para que funcione bem a ferramenta, a fonte, que nos permite termos essas capacidades.

Pense num conhecido seu que está “ GAGÁ “.
GAGÁ quer dizer ” caduco, ancestral, ancião,velho, decrépito, encanecido, macróbio, matusalênico” etc etc..
Sabe porque ele está GAGÁ??
Porque seu cérebro apresenta problemas. Simples assim.
Quem deseja passar por isso?
Se não acontecerem doenças graves ou acidentes, a probabilidade de se viver muito tempo é bem grande.E de ficar GAGÁ, também.

 Existe diferença entre ser velho e ser idoso, e a pessoa precisa escolher o que pretende ser.
Idade, todos que viverem mais, terão.
A velhice… talvez possa ser adiada, minimizada, extirpada do próprio espírito.
Como?
Não se fixando e nem temendo a idéia de envelhecer, mas, ocupando-se de ter vida longa, porém lúcida, saudável e feliz .

E’ importante que cada pessoa se prepare para a longevidade .

Acreditando que tenha o dever de transmitir seus conhecimentos, a autora estruturou o livro com três partes:
. a primeira trata de como e porque estamos vivendo mais que nossos ancestrais;
. a segunda trata sobre o cérebro e seu funcionamento;
. a terceira apresenta recomendações para viver mais, com saúde, lucidez e felicidade.O livro foi escrito para estimular maior entusiasmo para viver longamente, e BEM.

Viver com vontade, garra, determinação, resiliência, entusiasmo, competência, bom humor, destemor diante das  dificuldades que aparecem, interesse em se cuidar, se curtir e se aperfeiçoar, além de buscar a boa saúde.

E isso tudo, com sentimentos positivos, como o amor, por exemplo.

Caso contrário, provavelmente surgirão muitas dificuldades e situações indesejadas para os mais longevos e também para os seus entes queridos, que se preocupam com eles. Então… vamos lá ?